Aprenda aqui o passo a passo de como fazer pipoca doce.

Já andou pelas ruas da cidade e, do nada, aquele cheirinho de pipoca invadiu os seus sentidos? Não tem como fugir, a vontade de comer a iguaria quentinha é instantânea e, se for docinha, melhor ainda.

Se você é uma dessas pessoas que não consegue resistir a uma pipoca doce e está se perguntando como prepara-la em casa para sua família ou visita, curtindo muitos momentos agradáveis, nós vamos te passar duas receitas muito saborosas. E o melhor de tudo, com um gostinho caseiro e que em nada se assemelha ao dos pacotes prontos e de microondas. É pra comer sem culpa. Então, vamos a elas?

1. Pipoca Doce Caramelada

Em primeiro lugar, separe os seguintes ingredientes: 4 colheres de sopa de milho de pipoca, 4 colheres de sopa de açúcar, 4 colheres de sopa de água e 3 colheres de sopa de óleo. A receita é muito simples, basta colocar todos os ingredientes citados em uma panela e mexer até que se forme uma calda com consistência caramelizada, de forma a envolver os grãos do milho da pipoca. Logo que a pipoca estourar, tampe a panela e sacuda um pouco esta, para misturar bem a pipoca e a calda. Simples e gostosa, a receita leva apenas 15 minutos do seu tempo. Dá para curtir a visita e, ainda, saborear uma pipoca quentinha e deliciosa.

2. Pipoca de Chocolate e Leite Condensado

Um pouco diferente da receita anterior, essa é uma explosão de doçura. Os ingredientes necessários são: Meia xícara de milho de pipoca, 2 colheres de sopa de açúcar refinado, 4 colheres de achocolatado em pó, três gotas de óleo de girassol e leite condensado. Para iniciar a receita, misture em uma vasilha o achocolatado e o açúcar. Já na panela ou pipoqueira, coloque o óleo com a mistura anterior, cobrindo todo o fundo da panela. Após, coloque o milho e tampe, deixando cozinhar em fogo médio baixo. Se você não tiver uma pipoqueira, é preciso mexer com uma colher, para não deixar o açúcar queimar no fundo. Em apenas cinco minutinhos, a pipoca está pronta para ser saboreada.

Como se sabe, existem muitas outras receitas, mas nós separamos estas duas para facilitar a sua vida e garantir uma excelente experiência. Porém, se você tiver outra sugestão, compartilhe nos comentários para que, assim, mais pessoas conheçam o seu modo de preparo da pipoca. E bom apetite.

Kellen Kunz


Quando vamos almoçar pensamos logo em uma refeição fresquinha e saudável, não é verdade?

Saiba que nesse momento vamos ensinar aqui como preparar um feijão diferente e gostoso para mudar um pouco, e tenho certeza que você e toda a sua família vão aprovar a novidade.

Veja o passo a passo de como prepará-lo:

Ingredientes:

500 g de feijão cru

200 g de bacon cubinhos

2 linguiças calabresa cortadas cubos

200 g de carne suína cortada cubos

200 g de carne seca (ferventada)

2 tomates picados

4 cebolas médias picadas

2 dentes alhos picados

200 g azeitonas picadas

Tempero sal, orégano, caldo de bacon

Água para completar a panela

1 xícara de óleo

Modo de Preparo:

Antes de começar a receita deixe o feijão de molho por pelo menos 30 minutos. Depois coloque na panela de pressão óleo, a carne suína, a carne seca mais a linguiça, e refogue. Depois coloque a cebola e os demais temperos e mexa por mais alguns minutos.

Na sequência acrescente água fria e coloque também o feijão. Deixe o feijão cozinhar por cerca de 40 minutos ou deixe até que o caldo fique bem grosso e pronto.

Sirva quente e tenha um bom apetite.

Por Josiane Fernandes de Jesus


Degustar é a arte de saber apreciar alimentos,  ou seja, analisar a sua composição pelos sentidos naturais do ser humano.

A degustação de vinhos envolve quase todos os sentidos:

– o olfato: é onde é possível designar as qualidades e defeitos do vinho antes de degustá-lo. Os aromas são divididos em primários, secundários e terciários:

– primários: são aqueles descendentes da própria uva que os originou;

– secundários: são os submetidos a fermentação;

– terciários: encontram-se somente nos vinhos tintos envelhecidos, que adquirem faces oxidativas por estarem armazenados em locais de madeira.

– o paladar: proporciona descobrir o equilíbrio dos componentes do vinho, como acidez, viscosidade, etc. E logo após é possível descobrir em qual categoria ele se encontra: doce, ácido, equilíbrio, consistência, tanino, glicerina e álcool.

Para perceber a qualidade do vinho deve-se observar o tempo que é possível senti-lo após engolido, que varia de 2 a 6 segundos.

– a visão: é onde observa-se a limpidez, a cor e a transparência do vinho. Ou seja, um vinho translúcido, cristalino e brilhoso indicam a excelente preocupação com seu preparo. As cores variam com o tempo, mas é possível observar se foi bem armazenado e consequentemente, se não perdeu a qualidade.

Com estas dicas, torna-se possível conhecer e saber degustar vinhos de qualquer origem e fabricação.


Com as imensas variedades de alimentos existentes hoje pode-se preparar diversos pratos de saladas para a dieta não ficar monótona e nem ‘sem gosto’.

A mistura de ingredientes adequados é o auge para se obter uma equilibrada e balanceada alimentação natural, além do sabor espetacular que pode se obter. A dica é misturar em uma mesma salada diferentes folhas de alface, agrião, tomate, acelga, etc, e surpreender com frutas! Isso mesmo, frutas!! Elas trazem um toque especial e extremamente saboroso. Frutas como maçã, abacaxi, manga, abacate, mamão, laranja, entre várias outras, podem ser degustadas junto à salada e assim como também proporcionam maiores quantidades de nutrientes.

Além de sempre investir no tempero, que proporciona o toque especial para esta refeição. As opções são vinagretes, suco de limão, molhos à base de iogurte, ou molhos prontos que facilmente se encontra nos mercados, e sem esquecer dos famosos: vinagre e azeite.

Como, em uma dieta, a salada normalmente entra no lugar de pratos principais, sempre deve acompanhá-la um tipo de carne (fonte de proteína) e porções de arroz ou batata, por exemplo, que são fontes de carboidratos.


Experiências com frituras não são das melhores, tanto pelo cheiro, quanto pela indiscreta sujeira que fritar algo proporciona.

A melhor opção é seguir alguns truques para evitar os transtornos que podem ocorrer:

– para a gordura não espirrar, coloque no fundo da frigideira, antes do óleo, um pouco de sal e somente após ligue o fogo;

– para evitar os desagradáveis e duráveis cheiros de fritura, ferva em uma panela ao lado cascas de laranja ou cravos-da-índia até enquanto durar o processo, e se o cheiro já estiver impregnado na casa, aqueça um pouco de canela em pó em uma frigideira;

– para evitar que o óleo salpique na fritura, acrescente uma pitada de farinha no óleo já quente;

– na fritura de empanados, evite a espuma que se forma colocando rolhas de cortiça no óleo;

– ao fritar peixes, passe o óleo em um filtro para absorver as impurezas e pingue algumas gotas de limão e deixe aquecer, assim o óleo não ficará com gosto e nem cheiro de peixe;

– para qualquer tipo de fritura, pode-se juntar ao óleo já quente, um pedaço de batata crua fatiada, pois a mesma irá absorver qualquer sabor inconveniente do óleo.

– frite todo e qualquer alimento com o óleo totalmente quente, para saber quando estará no ponto certo coloque um palito de fósforo junto ao óleo e quando ele acender significa que estará na temperatura exata para receber os alimentos;

nunca coloque muitos alimentos na frigideira no mesmo momento para fritar, pois isso irá diminuir a temperatura do óleo e irá demorar mais tempo para ficarem prontos.

Com estas dicas, Bom Apetite!! Sem odores, queimaduras e resquícios no óleo.


A maneira como distribuímos os alimentos na geladeira influenciam na sua conservação e até mesmo na saúde de toda a família.
Os truques são para:

  • Ovos: devem ficar na parte superior da porta, e evite lavá-los antes de guardá-los, pois eles possuem uma proteção natural que os defendem de possíveis bactérias que possam penetrar por entre a casca;
  • Frios: o local ideal para presuntos, queijos, salames, mortadelas entre outros é ficarem nas prateleiras superiores, incluindo também o leite e a manteiga;
  • Peixes e Carnes: a estes temos que ter uma maior atenção, para isso envolva-os em plásticos novos e coloque-os na ‘gaveta de carnes’, se forem ser consumidos à longo prazo, corte em pedaços e congele-os;
  • Comidas prontas: alimentos já preparados, que saíram do fogão para serem guardados na geladeira devem ser colocados em recipientes fechados, assim como as sobremesas;
  • Latinhas, Caixas e Garrafas: a parte superior das latinhas de cerveja e refrigerante devem ser limpadas; os enlatados devem ir em potes plásticos e bem fechados; e o leite de caixinha deve ser levado a geladeira somente depois de aberto;
  • Legumes, Frutas e Verduras: ficam na gaveta de baixo e serão lavados somente na hora de usar.

Pronto! Agora sua geladeira ficará organizada e sem perigos para os alimentos e para você!





CONTINUE NAVEGANDO: