Cuidados que devem ser tomados com animais idosos



  

Com o avanço de tecnologias na medicina veterinária voltadas para o trato com animais, aliados a própria conscientização de seus donos quanto aos cuidados que devem ter com os animais de companhia, tem aumentado em muito a qualidade de vida deles. Fatores como uma nutrição adequada desde cedo, detecções de diagnósticos precoces e o principal deles que é o acompanhamento periódico por um veterinário, têm peso considerável na expectativa de vida dos animais. 

Sabe-se que animais idosos possuem menor resistência a doenças como viroses e infecções bacterianas. Por isso, quanto maior a raça de um cão, mais cedo ele precisará de cuidados, assim como uma pessoa idosa. Geralmente, cães são considerados idosos a partir dos sete anos de idade. Já os felinos alcançam a velhice um pouco mais tarde, entre os 10 e 11 anos de idade.

Veterinários e especialistas recomendam aos possuidores de animais já mais velhos, que não deixem de realizar exames periódicos, mantenham a vacinação em dia, a higiene do local de estadia e do próprio animal, que os levem para praticar atividades físicas. É importante que os donos fiquem atentos as dicas passadas, pois nesse período, começam a aparecer doenças como atrofia muscular e diminuição dos hormônios de crescimento.





Atualmente para quem mantém um animal já considerado idoso em casa, recomenda-se que se produza uma dieta balanceada para que assim não atinjam a obesidade e evitem que eles consumam alimentos consumidos por humanos. Seguindo essas orientações minimamente, o dono ajuda em muito para que o animal tenha uma vida tranquila e com isso evita-se que o animal seja um transmissor de doenças. Muitos desconhecidos aliam a um animal gordo como sinal de saúde, o que na verdade não é positivo a afirmativa. 

Portanto, se você gosta do seu animal e quer que ele tenha uma vida saudável e uma velhice tranquila, cuide bem dele, pois todo animal assim como nós seres humanos, necessitam de respeito, amor, afeto e principalmente carinho.

Por Valter Falinacio



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *